domingo, 20 de janeiro de 2019

Despedida







Não quero mais cobrar do tempo as respostas que atirei ao ar.

Não quero mais olhar pra frente e duvidar do quanto percorri.

Não quero mais sentir frio sempre que desnudar minha pele.

Não quero mais escutar os berros daquilo que jamais caminhou ao meu lado.

Não quero mais sentir a brisa afiada das palavras ditas sem real intenção.

Não quero mais encontrar fragmentos de mim em histórias findas que ainda me visitam.

Não quero mais mergulhar num sentimento e ter que gritar ajuda pra não me afogar.

Não quero mais ter que fechar os olhos pra me esconder de crueis realidades.

Não quero mais pôr a mesa do café e ter apenas o passado como companhia.

Não quero mais murrar minha cabeça numa parede de medos pontiagudos. 


Não quero mais ser suor e sangue em batalhas camufladas pela mentira.

Não quero mais que as minhas lágrimas percorram todo o meu corpo antes de escorrer pelos olhos.

Não quero mais despertar de madrugada com o choro dos meus lamentos implorando peito.

Não quero mais descobrir respostas somente quando a solidão me apertar o pescoço.

Não quero mais me reconhecer apenas acenando ao longe. .

Desculpe, essa foi minha última partida. .

Aguardo por ti no saguão de entrada.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial