domingo, 20 de janeiro de 2019

Alice, me abraça por enquanto




Alice, te peço que me abrace como se eu fosse um velho amor. Reconheça esse meu coração aberto. Alice, você que é tão acostumada a ser casa e a retribuir olhares sinceros, enxergue-me em teu peito. Tenho os olhos ainda assustados, ainda procuro pela sombra, por abrigo, Alice eu admito que ainda me assusto, meu coração recém-acostumado a ser novamente dono de si ainda sente os resquícios da solidão de outrora, o fascínio de se redescobrir ainda não me fez esquecer as incertezas, será, Alice, que eu serei o amor pra ti? Será que chamarei seus olhos negros, seus lábios grossos e toda essa tua calma de minha paz? Será, Alice? Será que as águas mansas que procuro dentro do meu peito também existem dentro de você? São tantas incertezas, Alice, são tantos medos mas também são tantas expectativas, tantos sentimentos bonitos depositados dentro de nós, me abraça, Alice, me abraça por enquanto, vamos nos construir dentro do outro, até descobrirmos que esse abraço pode ser eterno. .
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial