Teu colo

Ainda lembro. A grama verde oferecia passagem. Lembro do balé das folhas junto ao vento. Do suicídio das flores quando você passou. Dizem que as flores são invejosas, e naquela noite, haviam perdido o reinado.

Apenas palavras

Carregar em si o peso das palavras nunca foi remédio para a escuridão na linguagem.

A madrugada mais longa

Não, não havíamos planejado nada. Não prometemos confidências. Não oferecemos o branco das nuvens. Apenas sorrisos como quem diz ser amanhã.

Quando

. Quando as luzes não mostrarem os atalhos Quando os livros recolherem suas letras Quando os segredos se tornarem cochichos Quando o riso virar castigo...

Falsas mágoas

Relacionamentos nos obrigam a tomar decisões.Sensatas ou abruptas, no calor do momento ou na serenidade do sofá. Seja pra decidir a poltrona do cinema ou o hiato devido a proposta de trabalho no exterior. O amor nos testa com seu aglomerado de decisões.

sábado, 29 de outubro de 2016

A história do casal mais feliz do "facebook", ou não






Colocar "namorando" em redes sociais é complicado, ela diz. Ele concorda. A boa desculpa de que os invejosos ficarão de olho grande sempre cola. "Isso interessa apenas pra nós dois", clichêzinho da verdade. Você tem certeza de que é isso mesmo? Você realmente quer?", um pergunta ao outro. Mentira, não perguntam. Mas gostariam de perguntar. Gostariam muito.


Mudanças no status de relacionamento nas redes sociais não é brincadeira. Ganhou um nível de importância capaz de mover montanhas. Páreo a páreo com a troca de alianças.


"Bem, entre continuar sendo o/a único/a solteiro/a da galera por não sei mais quanto tempo,ou tentar construir algo, de repente essa segunda opção seja mais válida. Vamos tentar e ver no que dá."


Eis então que resolvem alterar o status. Tá lá pra quem quiser ver:  "em um relacionamento sério" no "facebook".


Fotinho, abraçados, do dia que se conheceram. Poema do Zack Magiezi. Duzentas curtidas. Quarenta comentários. "Felicidades!" "Eu já sabia!" "Lindo casal!" "s2"


Agora a parada ficou séria.


Primeiras semanas: vídeo do onze vinte. "Lembrei de você, mô.", Montagem com fotos de língua pra fora e fazendo caretas. "Até nas loucuras ela me completa". Trecho do Los Hermanos. E até quem me vê lendo o jornal ma fila do pão, sabe que eu te encontrei...


Acho que já vi esse filme.


Primeiro dia dos namorados juntos. Jantar a dois. Selfie com o buquê de flores. Selfie com o nome do restaurante (caro) ao fundo. Selfie mostrando o prato chique. Procura por "frases de amor" no Google. CTRL C CTRL V. Curtidas. Mais curtidas.


Carnaval com outros casais no sítio do tio de um dos amigos. Foto da tulipa cheia com a garrafa de cerveja artesanal ao lado. "Que comecem os trabalhos! Se sentindo: Feliz; Em: Campos do Jordão.


Discussões. Postagens indiretas em forma de música do Jorge e Matheus. Indiretas com um trecho do Carpinejar. Indiretas com algum texto de autoajuda achado na internet com a assinatura do Caio Fernando Abreu ou do Veríssimo. Desbloqueia antigos contatos no Messenger.


Reconciliação. Selfie no restaurante do primeiro encontro. Hashtag teamo. Hashtag amormeu. Hashtag amorverdadeiro. Hashtag mylove. Cento e cinquenta curtidas. "Sempre soube que vcs se entenderiam =)"


Dias depois...


Ele: Festa com os amigos. "Deixa que eu bato a foto. Não me marca, senão ela vai descobrir e eu tô ferrado!"


Ela: Foto sorridente com as amigas. "Ladies Night!"


Dias passam, até que numa manhã qualquer, ao abrir o "facebook":


"Vocês estão completando um ano de amizade no "facebook"! Compartilhe esse momento!"


E aparece aquela exata foto do dia que se conheceram, abraçados, com poema do Zack Magiezi, com tantas curtidas e comentários felizes.


Um ano? Já ?  Ela se espanta.


Um ano de quê? Ele se pergunta.

Desce a barra de rolagem e curte a foto do/a antigo/a peguete. 



Nenhum dos dois compartilhou.








Comentários  

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Eu te enxergo perto, e você tão longe





Você levanta a sobrancelha quando passa por mim, e o nosso mundo é tão lindo.

É assim que você passou a me dirigir palavras. Palavras de sobrancelhas, palavras de olhos fechados, palavras que silenciam-me. 

Olhe nos meus olhos por eternos cinco segundos e diga que nada mais te vem à mente, pra que assim eu vá embora de ti de uma vez. 

Olhe nos meu olhos por eternos cinco segundos e diga que a minha falta te sufoca como quem toma, numa só, meia caixa de tarja-preta, e assim passaremos a entender o real sentido da vida. 

Olhe nos meus olhos. 

A partir do momento que minha presença for pra ti nada além de mera leviandade, esse livro se fechará. Esse livro de nossas palavras soltas e espalhadas sem qualquer regramento sumirá do mundo. 

O amor pode ser tudo menos um serviçal das vontades alheias. 

Eu tinha você e não fazia ideia de que na verdade eu não tinha nem a mim mesmo. Eu não tinha nem sequer o mínimo resquício de mim mesmo. 

E eu não sei o que diabos alguém pode ter quando não tem nem a si mesmo. 

Diga que você me encontrará e encontraremos a vida. 

Só nos falta perceber que a reciprocidade é a mãe de todas as verdades, e ressuscitaremos no peito do outro. 

Sim, eu falo de reciprocidade, falo de corações abertos, de sorrisos que ganham o mundo, de defeitos que não se escondem e de discos do Nirvana. 

Reciprocidade gera reciprocidade. 

Não sei se é ironia ou se Deus, por propósitos ou eufemismos, criou esse mundo assim, tão pequeno, simplesmente pra bastar eu fechar os olhos e te enxergar cada vez mais perto. 

Eu te enxergo perto, e você tão longe. 

Eu fecho os olhos e te enxergo perto, e você é tão longe.

Deus cochichou em meus olhos propósitos e eufemismos. 

Eu olho pra trás quando passo por ti, e o nosso mundo é tão lindo. 





Comentários 

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Hoje te escrevo, amanhã te odiarei




Você era a mulher mais linda que existia dentro de mim.

Até eu escondê-la em meu canto mais remoto.

Foi quando descobri que poderia omiti-la até em meus mais inóspitos excessos.

Menos debaixo de meus olhos.

Você, inutilmente, se esforçava pra nadar em minhas lágrimas.

E eu a olhava como quem não tem qualquer alternativa.

Restou-me afogá-la ainda mais.

Afogá-la das sobras de mim.


Você padece naufragada em meu mar salgado. 

Meus olhos fingem não te ver.

Enxergam qualquer uma, mas não você.

Seus suspiros ofegantes escorrem de minhas retinas.

Sua boca te embriaga com o que me dói.

Do alto de tua ironia, es um cisco encravado em mim.


Tua resistência vai se esgotando.

E agora, já sem ar, solto de vez da tua mão.

Você se afoga em minha profundez.

E toda aquela cena ganha vida em meu lembrar.

Enxergo-te, novamente, a mais linda de todas

A mais puta de todas.

A mais profunda de todas.

Seja bem-vinda ao meu último déja-vu.

Seja bem-vinda, meu amor.


Hoje te escrevo. Amanhã te odiarei.






Comentários 

← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial