segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Eu espero o seu tempo






Eu espero o seu tempo.

A pressa não fará parte de mim. A vontade de pular suas etapas passará longe. O desejo de te ter antes de que você tenha a ti mesma não me dominará.

Não olhe pra mim com medo de suas certezas. Confie nelas. Algumas de nossas certezas são sagradas. São cochichos de Deus em nossos ouvidos. Não há por que temê-las.

Foi por isso que escolhemos um ao outro. Por todas essas nossas pequenas particularidades. Sabia que todo amor é um amontoado de particularidades bonitas? E você tem as mais belas. Peço que jamais se esqueça disso.

Eu sei que às vezes a incerteza nos domina, aquele medo natural de não decifrarmos o que nos aguarda, talvez aí é que esteja toda essa magia que nos envolve. E o mais belo disso tudo são exatamente esses detalhes indecifráveis. É o que nos faz acreditar cada vez mais um no outro.

Todo amor tem seu tempo. E o seu tempo é o meu tempo. Isso significa que, juntos, temos toda uma vida pela frente. Temos o tempo de caminhar de mãos dadas, de dar risadas, de chorar também. Temos o tempo de apresentar nossas famílias, de planejarmos o futuro, de escolhermos o nome do cachorro e os padrinhos e madrinhas.

E seria uma enorme covardia minha impôr meu tempo sobre o seu.

Eu sei que um passado triste te fez ficar com o pé atrás. Sei que alguém não soube te tratar com o devido amor. E sei, acima de tudo, que certas dores necessitam de tempo pra cicatrizar

Repito: o seu tempo é o meu tempo.

Nessas horas todo um filme passa pela sua mente. "Será que ele não fará a mesma coisa? Será que a intenção dele é a mesma da maioria? Será que existem mentiras por trás dos olhos dele?"

Eu compreendo suas dúvidas e medos. E te respeito.

Não te despejarei palavras de efeito, poemas da internet ou presentinhos clichês. Não te ligarei nas madrugadas, nem mandarei mensagens inoportunas e invasivas. Não tentarei me fazer presente quando você necessitar apenas de si própria para encontrar as respostas de que precisa.

Mas estarei sempre ao seu lado se você precisar de um suspiro de alívio, de um sorriso verdadeiro e de uma mão pra proteger. Ou pra acarinhar.

Não me dê justificativas. Não subverta o que te machucou. Seu silêncio são minhas palavras. Seus olhos apequenados sabem falar a nossa língua. Sua boca é onde nos escondemos desse mundo.

O tempo mostrará as diferenças. Certos traumas somem sem que percebamos, e pra isso não há receitas secretas, nem feitiçarias. Basta apenas a vontade de fazermos moradia um no outro.

Eu espero o seu tempo.  Mas não solto da sua mão. 



Comentários

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial