Teu colo

Ainda lembro. A grama verde oferecia passagem. Lembro do balé das folhas junto ao vento. Do suicídio das flores quando você passou. Dizem que as flores são invejosas, e naquela noite, haviam perdido o reinado.

Apenas palavras

Carregar em si o peso das palavras nunca foi remédio para a escuridão na linguagem.

A madrugada mais longa

Não, não havíamos planejado nada. Não prometemos confidências. Não oferecemos o branco das nuvens. Apenas sorrisos como quem diz ser amanhã.

Quando

. Quando as luzes não mostrarem os atalhos Quando os livros recolherem suas letras Quando os segredos se tornarem cochichos Quando o riso virar castigo...

Falsas mágoas

Relacionamentos nos obrigam a tomar decisões.Sensatas ou abruptas, no calor do momento ou na serenidade do sofá. Seja pra decidir a poltrona do cinema ou o hiato devido a proposta de trabalho no exterior. O amor nos testa com seu aglomerado de decisões.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Gostar sem pressa







 Quando lembro de você, imagino um filme de nós dois. Penso em você falando comigo ao telefone, nas nossas histórias, nos seu olhar feliz quando eu dizia algo que você achava tão engraçado que chegava a chorar de tanto rir. Lembro também das semanas que ficávamos sem nos falar. Talvez obra do acaso. Talvez culpa do tempo. O tempo às vezes é o pior remédio. Dilacera vontades. Mas sempre soubemos desbravá-lo corajosamente e nos reencontros nos fazíamos de primeira vez.

Pura vontade de se ver. De marcar encontros e transformar a ansiedade em preliminares. De te ajudar a escolher o mais belo vestido. De já se saber feliz desde ali. A verdade é que sempre acreditamos um no outro. Seus olhos contavam o que as palavras timidamente escondiam dentro de ti. Sempre soubemos o que dizer, ainda que o silêncio encurralasse-nos. Não era vergonha. Era verdade. E as verdades não são essencialmente escancaradas.

Admiro seu jeito doce de menina. Suas responsabilidades de mulher. Seu sorriso quando olha pra mim. Sabe que pra você sou todo ouvidos, olhos, sorrisos e coração. Sou todo em plenitude. Sou até o que eu não conseguir ser. Sou porque sei que também és. E isso é coisa somente nossa. Temos nossa própria árvore pra fazer sombra e escalar. Temos nosso próprio sol pra que jamais apaguemos um ao outro. Temos nossa própria noite porque sabemos aproveitar a escuridão.

A vida tem dessas coisas. Dessas atitudes essencialmente humanas e honestas um com o outro. O saber de se gostar sem pressa. Sem ataques. Apenas nós dois e o sentimento, nos ares da inocência desse mundo, mundo esse que ás vezes parece tão pequeno pra nós dois. E ainda que o tempo passe, sei que encontro-te em cada esquina, em cada livraria, em cada primeiro amor, em todo e qualquer sonho bom. 






Comentários

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Quero entender





Quero entender você.

Quero entender seu jeito feliz de me dar bom-dia. Seu charme quando usa um óculos de grau vintage.  Seu medo quando tranca a porta do quarto e chora escondida. Suas confidências com aquele ursinho de infância. Sua mania de andar só de calcinha quando sozinha em casa. Suas horas ouvindo música no banho. Seus vestidos simples de flores. Sua risada sem medo do ridículo, mostrando que o mundo é seu por direito. 

Quero entender seu hábito de raspar com a colher a lata de leite condensado e depois arrepender-se. De me mandar mensagens quando acho que o caos da segunda-feira já havia me devorado. Seu cuidado com minhas unhas. Seu sorriso tímido de quando escrevo um texto pra você. Seu cantar desafinado e bonito. Seus livros de autoajuda. Sua leveza quando coça minhas costas. Sua vontade de pintar o cabelo de verde e sair correndo por aí feito uma doida. 

Quero entender seu desejo de entrar no mar sem roupa de madrugada. Seu jeito tão charmoso de falar com sotaque. Seu carinho ao cobrir meus  pés. Seus assobios no ponto do ônibus. Sua vontade de diminuir os passos quando a chuva aumenta só pra chegar em casa toda molhada e, como você diz, "novinha de novo".  Sua conversa sobre sexo, futebol, novela, política sem cara feia ou suspiros irritados. Sua saudade das aulas de balé de quando criança, que você ainda lembra de umas coreografias e dança sozinha em frente ao espelho do seu quarto. 

Quero entender seu charme ao prender o rabo-de-cavalo com uma caneta bic. Sua fobia de baratas. Sua mania de debruçar-se na janela e pensar na vida. Seu porta-retrato com a foto do seu gato de estimação. Seu hábito de escrever poemas nas últimas folhas do caderno. Suas horas falando ao celular deitada na cama e olhando pro teto. Sua alegria ao dançar, bêbada, agarrada às amigas. Suas fotos fazendo careta que você morreria de vergonha se alguém as visse. 

Quero entender suas noites de sono. Seus sonhos. Seus olhos bordados à mão. Seu sorriso quando se fingiu de lua dentro de mim.  Sua estrela ao lado da minha, lá no céu.  Seu desejo de jamais anoitecer-se. Seu jeito de mais simples poesia. Seus passos mais felizes. Sua certeza de dizer que amanhã será ainda mais lindo.

Quero entender o que jamais entenderei.






Comentários

← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial