sábado, 30 de novembro de 2013

Mundo


 
 
Pararam o mundo.
Desci.
Não demorou um segundo
Senti saudade de ti.

Eu vi que o meu próprio mundo
Não era mundo pra mim.
Era vazio e escuro
E eu me sentia assim.

Ah, doce mundo que deixei
Ainda que te escorra sangue
Tua água me limpe e me banhe
Nos caminhos que ainda hei.

Volta, mundo.
Me aceite de volta
E dê mais tantas voltas
Volte por onde eu não sei.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial