terça-feira, 4 de maio de 2010

Se você soubesse




Ah, se soubesse o quão charmosa estava com aquele All Star branco meio encardido, aquele short jeans com uns desfiadinhos que se encaixa perfeitamente às suas curvas; o top verde que você diz usar somente pra bater, deixando o piercing no umbigo à mostra. A caneta amarela prendendo seu rabo-de-cavalo, combinando com os seus óculos de grau que insistes em usar somente quando lê, e eu te enchendo o saco pra usá-lo diariamente, você diz que estou querendo tirar sarro de ti.

Se soubesse que morro de felicidade quando estamos presos naquele trânsito infernal e somos obrigados a nos aturar, você com aquele vestidinho comprado no brechó, com uma sandalinha rasteira e com aquelas pulseirinhas de couro. Sabe o nome disso? Encanto, simplesmente, sem derivados ou compostos.

É nessas horas que a verdadeira beleza se apresenta. Na hora que você está ali, enxugando o suor do rosto, debaixo do escaldante sol; quando compra uma latinha de guaraná e diz: "Putaqueopariu, que calor é esse?!", e ainda finaliza derrubando a bebida no jeans; olha pra mim e abre um sorriso meio que envergonhado e irritado, como quem diz: "Agora já era, né?"

Sim, agora já era, não tem mais volta. Quem mandou se revelar bonita da forma mais encantadora?








Comentários

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial