terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Relacionamentos modernos






Sempre enxerguei de maneira positiva esses avanços tecnológicos. Compro, pago, combino, vendo, tudo pela internet. As obsoletas atividades do horário de almoço do trabalho, tal como a fila do banco para pagamento de contas já não fazem mais parte da minha rotina. Século vinte e um, que maravilha! Tudo à frente da tela do computador ou do celular. Talvez aí é que more um problema. É tudo mesmo.

A tecnologia trouxe a possibilidade de, digamos, ampliarmos os limites dos nossos sentimentos. Você conheceu aquela pessoa super educada, inteligente, culta e, ainda por cima linda. Logo pensa: nossa! Ele não tem defeitos! Mas basta perguntar onde mora. Resposta: a trezentos quilômetros da sua casa. Agora tá explicado. Alguém com tantas qualidades não poderia mesmo ser dessa cidade, indaga-se. A oportunidade não bateu a sua porta, já chegou arrombando. Então, vai deixar esse partidão sumir assim, tão rapidamente como surgiu? Óbvio que não. Quilômetros transformam-se em metros em questão de segundos. O amor transcende a tudo. Lógico, se seu 3G não for do tipo 'morto'. 

No começo, tudo são flores. Flores virtuais, mas são. "Eu te amo" nunca foi tão facilmente escrito. Por facebook, Instagram, whatsapp... Equivale a um bom dia, boa tarde e boa noite, e talvez também seja assim com as declarações de amor. Você não diz exatamente a verdade, mas tudo fica entendido. Ou subentendido.

O apaixonado casal conversa todos os dias pela internet. O skype passa a ser a extensão de seus corações, a ponto deste ter seus batimentos duplicados ao vê-lo online, e entristecer quando, subitamente, o amado desconecta-se. Sábado à noite é marcado um jantar à luz de velas. E à luz da webcam. Sexo virtual? poupo-lhes dos detalhes...

Tudo segue na mais perfeita -e implícita- harmonia.

Porém, eis que surge o arquirrival de qualquer relacionamento: o tempo. Esperto que só, não chega desacompanhado. Traz consigo o enfado, a rotina, a insegurança... que neste caso, surge com um poder imensuravelmente maior.

Não é complicado de se observar uma iminente turbulência no relacionamento. Mais de dois minutos sem conversa no whatsapp, por exemplo, já é motivo suficiente para despertar a insegurança. Aquele engarrafamento de quilômetros numa área sem cobertura 3G lhe obriga a responder as mensagens duas horas depois? Seja criativo e arrume outra desculpa. Seu computador foi invadido pelo famigerado "Cavalo de Troia" assim que você clicou naquele link que anunciava um pack de fotos das peladonas e dos saradões do BBB? Sua operadora passará uma semana em manutenção, obrigando-lhe a tornar-se uma excluída digital durante este tempo? Danou-se, é tragédia na certa.

Não que eu enxergue algo de inverossímil neste tipo de relação. Longe de mim. Na verdade, ninguém é tão onipotente a ponto de pré julgar sentimento alheio. Vejo-me na obrigação de admitir que certa vez quase atirei meu celular pela janela devido a uma mensagem não respondida.

Entretanto, tudo tem o seu limite. Os meios de comunicação à distância estão à nossa disposição para usufruirmos, e não estes usufruirem de nós. Imperceptivelmente, o namoro pode tornar-se aquele místico ménage à trois. Você, seu namorado e seu celular. Um surubão, no bom português.

O relacionamento até pode ser a distância. Mas o amor e a confiança, esses sim, são impossíveis de se ausentar. 







Comentários

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial